Com roteiro fraco, 365 dias romantiza abuso em filme apático

365 dias

365 dias causou polêmica nas redes sociais nas últimas semanas. O longa disponível na Netflix é de origem polonesa e conta a história de Laura Biel, e o italiano Massimo. Ele se apaixona por Laura em um momento de delírio após levar um tiro. A partir daí começam as falhas no roteiro.

O filme é categorizado como drama erótico, mas o roteiro mostra uma sucessão de abusos psicológicos contra a protagonista. Vale ressaltar que o contexto que aproxima os dois personagens, é de um sequestro (olha a síndrome de Estocolmo maquiada como romance aí).

São muitos os perigos de histórias como essa, como por exemplo, romancear situações claras de abuso por parte do homem. Ainda que haja a tentativa de mostrar que a personagem é uma mulher com personalidade forte, fica evidente a intenção de transformar um sequestro em uma linda, ou não, história de amor. Em 365 dias, vemos uma sucessão de acontecimentos desconexos que surpreendentemente acabam com uma incógnita. Mas parece que pode ter um segundo filme, já que a história é baseada em uma trilogia escrita pela polonesa Blanka Lipinska. E você, assistiria a continuação da história?

As cenas de sexo, muito bem filmadas, mostram que a melhor escolha foi o diretor de fotografia. Por fim, o roteiro é extremamente fraco e não se sustenta depois dos primeiros 20 minutos de filme.

Você já assistiu o filme? Tem uma opinião sobre ele? É só nos contar abaixo com um comentário.

Deixe uma resposta