Cinema Negro norte-americano em mostra no IMS Paulista

Cinema Negro norte-americano em mostra no IMS Paulista

Acontece uma mostra do Cinema Negro norte-americano no IMS (Instituto Moreira Salles) em São Paulo que ficará em cartaz até o dia 23 deste mês. Toda produção é construída por negros para outros negros.

A seleção de filmes é composta por curtas, médias e longas totalizando 14 títulos, que foram produzidos principalmente entre as décadas de 1970 e 1980.

Porém, para obter o ingresso é necessário pagar um pequeno valor de R$8 (inteira) e R$4 (meia).
Os quais podem ser adquiridos na bilheteria do centro cultural para sessões do mesmo dia e no site ingresso.com.

Todo esse espaço para o Cinema Negro norte-americano deu-se por causa da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA). A qual, desde 1970 iniciou uma política de inclusão étnica, com o intuito de diversificar seu quadro de alunos.

Logo com a entrada de estudantes afro-americanos ao curso de cinema começou toda revolução. Onde filmes inovadores questionavam a indústria de Hollywood, trazendo as narrativas negras para o centro da cena. L.A Rebellion foi a nomenclatura designado pelos críticos a este conjunto e também o nome que a amostra do IMS

(Fonte/El País Brasil )

A curadoria das cópias dos filmes que serão exibidas foi de responsabilidade de Luís Fernando Moura, pesquisador e programador de cinema e o crítico Victor Guimarães.

No entanto não será apenas filmes na mostra do Cinema Negro norte-americano. A programação contará com debates e apresentações de críticos e pesquisadores. Caso vá apenas para o debate a entrada gratuita, com distribuição de senhas 1 hora antes e limite de 1 ingresso por pessoa.

Todo trabalho exercido em cada filme traz a visão do diretor que era gerar representatividade, produzir um cinema voltado para o público negro.


“[…]esse espelho embaçado de Hollywood em que, na maioria esmagadora do tempo, negros e negras não podiam se reconhecer. Era preciso inaugurar um outro ambiente cinematográfico, próximo às sensibilidades e aos desejos que surgiam das comunidades afro-americanas”

– declara os curadores.

Confira a agenda da programação que está por vir

22 de fevereiro

19h30 – Exibição de curtas*

Um bocado de amigos

Charles Burnett

EUA | 1969, 22′, DCP

Ilusões

Julie Dash

EUA | 1982, 36′, DCP

* Os dois curtas serão exibidos na mesma sessão

21h

Uma imagem diferente
Alile Sharon Larkin

EUA | 1982, 52′, 16 mm

Sessão seguida de fala da jornalista Mariana Queen Nwabasili

23 de fevereiro

16h – Exibição de curtas*

O cavalo

Charles Burnett

EUA | 1973, 14′, DCP

Ciclos
Zeinabu irene Davis

EUA | 1989, 17′, digital

A bolsa

Billy Woodberry

EUA | 1980, 13′, DCP

Seus filhos voltam pra você

Alile Sharon Larkin

EUA | 1979, 27′, 16 mm

*Os quatro curtas serão exibidos na mesma sessão.

18h – Debate L.A. Rebellion, passado e presente

Conversa com Heitor Augusto, Mariana Queen Nwabasili e mediação de Victor Guimarães

O debate tem entrada gratuita, com distribuição de senhas 1 hora antes e limite de 1 ingresso por pessoa

20h30

Dando um rolê

Larry Clark

EUA | 1977, 105′, DCP

Sessão seguida de fala de Victor Guimarães

Confira o um o filme que quebrou recorde de trailer de animação mais visto em 24 horas

Deixe uma resposta